#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: Never Let Me Go

30 de abril de 2012


Título Original: Never Let Me Go
Gênero: Drama
Autor: Kazuo Ishiguro
Ano: 2005
Editora: Vintage Books
Número de páginas: 288
Nota pessoal: 3

Depois de assistir ao filme Não me abandone jamais fiquei muito curiosa para conhecer mais da história que me parecia promissora. Aproveitei o tema de abril do Desafio Literário 2012 e não pensei duas vezes ao escolher este livro como obra de um escritor oriental.

Sinopse:
Imagina ter seu futuro definido, crescer sabendo qual será seu destino e que não haverá uma vida longa a sua frente. Esta é a realidade dos estudantes de Hailsham, todos têm um mesmo futuro, se tornarem doadores de órgãos quando os forem solicitados.

Sobre a estrutura do livro:
A única coisa que me desagrada nas versões americanas de paper back é que a capa acaba desgastando durante a leitura e o papel jornal utilizado resseca as mãos, mas fora isso acho o formato leve, prático e agradável.

Crítica:
Apesar de não ser um livro grosso, ele aborda não só o tema central, que são os estudantes de Hailsham sendo preparados para se tornarem doadores, mas também assuntos como bullying, adolescência, amadurecimento, descoberta do sexo e a perda, dizer adeus e saber aceitar a sua hora.
Composto de personagens fortes, um cenário simples e um tema bastante pesado, chegando até a ser, de certa forma, deprimente.
Infelizmente o livro não atendeu minhas expectativas, esperava entender como tudo começou, como os doadores foram “produzidos”, quais foram os critérios na escolha dos “modelos”, porque eles não conseguem reproduzir. Não fica claro se eles são clones de seus “modelos” ou como eles “surgem”, é muito subjetivo.
O livro me deixou com diversas dúvidas e isso foi um ponto negativo ao meu ver. Gosto de livros que sejam conclusivos e não tenham pontas soltas já que não haverá continuação.
Um ponto que me incomodou muito foi o fato de os personagens serem tão passivos, ninguém questionou nem ao menos se rebelou, todos aceitaram seus destinos sem lutar por suas vidas e sua liberdade, será que isso faz parte de como eles foram “feitos”? A aceitação de que eles foram criados para salvar a vida de outras pessoas sem que as deles tenham qualquer valor não é normal para mim, alguém deveria ter lutado em algum momento.
Entendo que o livro parta do ponto de vista da narradora e que ela não tem estas informações, esta apenas contando sua vida e como foi ser uma doadora, mas ainda assim me intriga tantos pontos em aberto, tantas perguntas sem respostas, porque ela mesma não chegou a fazer estas perguntas?
O livro é bom, a temática dele tem um estilo bem interessante, mas o autor se focou muito no drama da protagonista deixando a base sem grandes explicações, e foi esta base que me chamou atenção e por isso me senti lesada.
Ainda assim recomendo a leitura, por ser algo diferente dos livros comerciais e ter uma narrativa agradável, só não esperem respostas à todas as suas perguntas.

Sobre o autor:
Kasuo Ishiguro nasceu em Novembro de 1954 em Nagasaki (Japão), porém aos seis anos migrou para a Inglaterra, assim o escritor cresceu e foi criado com base nas duas culturas. Atualmente tem 6 livros publicados no Brasil.

Trailer do filme
A adaptação para o cinema aconteceu em 2010 e agora posso dizer que esta bastante fiel ao livro, confira a resenha aqui.

Este livro foi publicado no Brasil pela editora Companhia das Letras no final de 2005, clique na capa nacional abaixo para maiores detalhes.

E vocês o que acharam? Se interessaram pelo livro? Caso queriam adicionar na estante do Skoob basta clicar na capa do livro no início do post.

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL