#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: Antologia Poética

19 de dezembro de 2012



Título Original: Antologia Poética
Gênero: Poesia
Autor: Vinicius de Moraes
Ano: 1992
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 328
Nota pessoal: 3

Mais uma vez o Desafio Literário se tornou um verdadeiro desafio, só que desta vez para encontrar o livro, afinal o único livro de poesia que eu tenho em casa já havia usado no mês do Prêmio Jabuti, Em alguma parte alguma.

Devo ser a pessoa mais sem cultura e estúpida do universo por nunca ter lido uma obra de Vinicius de Moraes, assumo, nem mesmo na escola, conhecia muito pouco do escritor, acho que só mesmo algumas letras interpretadas por Tom Jobim, mas ainda assim quando recebi este livro emprestado esperava encontrar algo diferente do que pude ver.

Crítica:
Este livro não é apenas um livro de poesia, que aproveita para criticar a sociedade e o sistema da época, mas também é um livro que fala sobre seios, isso mesmo, seja ele nas mais diversas formas, cores, e até mesmo sentidos da palavra. Se Freud fizesse uma analise de diversas das poesias de Vinicius de Moraes seria interessante de acompanhar. Fiquei impressionada com a quantidade de vezes que o escritor usou a palavra seios em suas poesias, chegou um momento que pensei até mesmo em contar, mas já estava na metade do livro e nada afim de retomar a leitura do começo.
Juro que pensei que fosse me apaixonar pelos poemas do escritor, mas a sensação que eu tive ao ler foi de estar conversando com uma pessoa triste com a vida e o mundo em que vivemos, que só sabe reclamar de tudo, até os poemas que começavam lindos e doces terminavam com críticas e reclamações, foi uma sensação um tanto estranha para uma leitura do gênero, nunca tinha tido uma experiência assim.
Em geral os livros de poesia que passaram pelas minhas mãos foram sempre recheados de romantismo chegando até mesmo a enjoar pela excessividade de amor em cada estrofe e realmente isso não aconteceu com este livro.
Ainda assim o livro é interessante de ler para entender um pouco da cultura de grande parte do século XX, afinal quando eu nasci ele já havia falecido a mais de 3 anos, então todo o mundo que ele conheceu já havia mudado quando meus olhos se abriram pela primeira vez (nossa, soei até poética agora, fala sério).
Foi uma experiência interessante conhecer esta coletânea de Vinicius de Moraes, mas ainda assim não tive nenhuma poesia que tenha me marcado, a não ser o soneto que conheço desde pequena "soneto de fidelidade", que por sinal acho que é o mais próximo do romantismo que encontrei nestas páginas.
A recomendação deste livro é moderada pura e simplesmente por se tratar de um livro de poesia, sei que muitos não gostam do gênero, eu mesma não sou uma grande apreciadora hoje em dia, mas somente por este motivo.

Citações que me chamaram a atenção:
"Talvez da carne do homem prostrado se visse sair uma sombra igual à minha
Que amasse as andorinhas, os SEIOS virgens, os perfumes e os lírios a terra
Talvez... mas todas as visões estariam também em minhas lágrimas boiando
E elas seriam como óleo santo e como pétalas se derramando sobre o nada."
Fonte: O olhar para trás
"Eli era o beijo ardente sobre a areia úmida.
Eu me admirava horas e horas no espelho.
Um dia mandei: 'Susana, esquece-me, não sou digno de ti - sempre teu...'
Depois, eu e Eli fomos andando... - ela tremia no meu braço
Eu tremia no braço dela, os SEIOS dela tremiam
A noite tremia nos ei-ou dos pescadores..."
Fonte: Ilha do Governador

E este é o último post do Desafio Literário 2012, que orgulhosamente cumpri todos os meses.

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta