#VocêTemUmaMenteMilionária

HQs: cinema e quadrinhos ou quadrinhos e cinema?

28 de fevereiro de 2013


É de fato que o cinema é um dos maiores meios de entretenimento existentes na história. As vezes chega a passar a música, a televisão, a literatura ou até mesmo os quadrinhos em espectadores e amantes. Quando se cria um filme ou uma película há uma ideia principal que futuramente irá se dividir em várias outras ideias e assim no final de tudo inicia-se a produção daquele projeto que mais tarde se tornará um filme concluído. Bem resumidamente é assim que funciona.

Em todos os cantos do planeta vários países com os seus estúdios localizados trabalham para entregar filmes de diferentes tipos, mas vamos deixar isso para a senhora Viviane que é a responsável por trazer o material sobre cinema a vocês leitores. O ponto principal aqui são os quadrinhos.

Para aqueles que já conferiram (se você ainda não conferiu por favor acesse aqui a primeira parte e aqui a segunda parte) as minhas primeiras postagens aqui no blog resumidamente sobre quadrinhos, eu citei que há uma... podemos chamar de “importância” dessas revistinhas nos diversos tipos de ferramentas do entretenimento humano. A principal delas é considerada a sétima arte, o cinema.


Não entenda mal se você leitor gosta de cinema e – ainda, espero eu - não é muito familiarizado com a banda desenhada, mas relevando a importância decisiva do mestre Will Eisner que “histórias em quadrinhos não são meio de entretenimento apenas para crianças e adolescentes”, nos últimos tempos na indústria cinematográfica podemos perceber uma forte influência e também referência direta dos quadrinhos, em geral, nos filmes.

O ponto principal aqui é que há duas linguagens diferentes em seus próprios ramos, mas que seguem uma mesma linha recíproca de referências, influências e importâncias.

Para esclarecer certas duvidas encontrei um ótimo artigo que descreve melhor essa origem de ambas:

“Quadrinhos e cinema. Entretenimento de milhões de pessoas. Mas quantos dos que lêem quadrinhos vão ao cinema freqüentemente? E quantos dos adoradores de cinema guardam uma parte de seu tempo para apreciar uma revista em quadrinhos? Provavelmente são poucos os que têm conhecimento da relação destas duas linguagens e poucos os que acreditariam nas semelhanças existentes entre ambas. Mas entre a grande diferença de uma tela de cinema e uma revista em quadrinhos as semelhanças são muitas.
As histórias em quadrinhos e o cinema são linguagens que surgiram praticamente juntas, no final do século XIX. Tal data nos remete à Revolução Industrial, que propiciou os avanços necessários para esse surgimento.
Com o avanço tecnológico, surge o cinema como finalidade científica, segundo as perspectivas da época. Com o avanço cultural, os quadrinhos tomam seu lugar nos jornais, representando uma evolução que vem do desenho jornalístico, passando pela caricatura, pelo cartoon (desenho acompanhado de texto, geralmente piada), chegando na tira em quadrinhos.
O sucesso das duas linguagens deve-se muito à tal época, pois é nela que observamos o surgimento da cultura de massa. Isso é melhor explicado por Laonte Klawa e Haron Cohen em seu texto Os Quadrinhos e a Comunicação de Massa:

"Principalmente é necessário que a história em quadrinhos seja entendida como um produto típico da cultura de massas, ou especificamente da cultura jornalística. A necessidade de participação e envolvimento catártico motivada pela alienação do indivíduo, a metamorfose da informação em mercadoria, o avanço da ciência, a nova consciência da realidade, enfim, as coordenadas características do estabelecimento da sociedade de consumo criaram as condições para o aparecimento e sucesso do jornal, cinema e quadrinhos."

e também por Moacy Cirne:

"...os quadrinhos e o cinema, surgindo no final do século XIX sob o impacto criador de uma tecnologia em desenvolvimento e de uma problemática sócio-cultural marcada por uma nascente sociedade de massas, apresentam muitos pontos estruturados pelo mesmo denominador comum. Os primeiros, no interior dos jornais; o segundo, fundando seu próprio veículo."”

Ou seja: Há uma espécie de relação!

E no momento, cinema e quadrinhos!

 


Quando falamos de filmes, logo lembramos Hollywood. E quando falamos de Hollywood, lembramos o maior foco cultural-cinematográfico americano e também representativo no mundo.

Esquecendo um pouco da apresentação histórica de Hollywood e cinema e, voltando aos quadrinhos, de um tempo para cá há um forte material dos quadrinhos em filmes hollywoodianos. Não concluo que todos os filmes são e precisam ter algum material quadrinhesco, mas que pelo menos um “blockbuster-americano”, que realmente há chances de sucesso, tem um pouco da arte sequencial em seu próprio conteúdo. Viu? Isso é uma referência direta.

Em minha opinião de cinéfilo e um bom leitor de quadrinhos vejo que Hollywood anda com ideias defasadas em relação a criações de blockbusters originais. Ora não se cria nada, ora se cria algo que depois é jogado ao lixo e ao esquecimento popular.

O que é o termo blockbuster? O que se faz um blockbuster? É bem simples: é um projeto/filme que tem grande importância popular e ás vezes cultural. E também foi produzido com bastantes recursos caros. Enfim, é basicamente um filme caro, que realmente faz sucesso e é importante.

Dito isso, quase todas as adaptações de quadrinhos que abordam super-heróis atualmente é uma chance de ser tornar um blockbuster. E esse é o núcleo de sucesso hollywoodiano. E sim, isso traz muito dinheiro para todos. Principalmente aos senhores "olhos de cifrões" dos estúdios.

Por isso que na maioria das vezes há adaptações de material das artes sequenciais para as grandes telonas. Isso já virou normalidade atualmente e está engatando um grande poder em estúdios cinematográficos com grande estrutura para receber esse tal material de quadrinhos.


Quer exemplos? Vemos hoje a mais conhecida como a “casa das ideas”, a editora de quadrinhos Marvel, responsável por metade dos personagens mais conhecidos da história, começou a sua inicialização na indústria cinematográfica (Marvel/Disney). Ela já conseguiu o feito de trazer fielmente aos telespectadores do cinema seus grandes e consagrados personagens como o Homem de Ferro, que é um dos personagens mais queridos e mais rentáveis do cinema no momento e também o Capitão América. 

E quem não se lembra do sucesso de 2012 “Os Vingadores”? Isso é um grande feito! Não é atoa que na lista dos “filmes com a maior bilheteria da história” Os Vingadores se encontra em terceiro lugar com quase 2 bilhões. Outros estúdios de cinema também tentam trazer cada vez mais os personagens por meios de adaptações para os cinemas.  


A trilogia “O Cavaleiro das Trevas” da série Batman pelas mãos do diretor Cristopher Nolan e a Warner Bros também é uma adaptação que conseguiu o grande feito e ocupa o sétimo lugar com o seu terceiro e último filme da trilogia nessa lista de maiores bilheterias da história com 1 bilhão.
 
 
E eu não só estou falando de super-heróis aqui também não! Diversos tipos quadrinhos também. Como: V de Vingança, 300, Sin City, Scott Pilgrim, Tintim e outros, já receberam boas adaptações cinematográficas.


Independente se goste ou não de quadrinhos, saiba que você possa ter assistido a um filme com forte influência dessas revistinhas.

E sim... quadrinhos é uma linguagem séria!
 

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta