#VocêTemUmaMenteMilionária

HQs: Daytripper

21 de fevereiro de 2013


Você já parou para pensar qual é o significado da vida? Todas as coisas que a constitui? Relacionamentos conhecidos ou desconhecidos? Todos nós sabemos qual é o verdadeiro funcionamento da vida e o quão intenso pode ser. Só que ainda não sabemos como iremos nos comportar.


Título Original:Daytripper
Gênero: Romance
Autor: Fábio Moon/Gabriel Bá
Ano: 2011
Editora: Editora Panini
Número de páginas: 256
Nota pessoal: 5 (posso dar mais?)




Gostaria de começar essa resenha dizendo que é um dos meus quadrinhos favoritos. Conheci algum tempo atrás e levo toda a sua estrutura como obra até hoje e os dias que virão. Posso começar descrevendo que é simplesmente incrível e tudo tão simples, desde os desenhos á as narrativas de cada personagem. E a melhor parte é que é um trabalho brasileiro!


Meu nome é Brás de Olivia Domingos, e eu som um sonhador. Eu realmente não posso dizer quanto anos tenho, só que sou jovem demais para saber se fiz as perguntas certas no passado, e velho demais para desejar que o futuro traga todas as respostas. Em meus sonhos, eu sou o escritor da minha própria história, entretanto eu nunca escrevo sobre mim mesmo, este obituário é a primeira e a última exceção. Todos os lugares para onde meus sonhos me levam, não importa se eu nunca estive lá ou nunca estarei... Ajudam-me a entender de onde eu venho... E para onde eu quero ir. Então o que meus sonhos REALMENTE me mostram é o que a minha vida pode ser se eu abrir os olhos. Meus sonhos dizem quem eu sou. Meu nome é Brás de Olivia Domingos. Está é a história da minha vida. Respire fundo, abra os olhos e feche o livro.

Daytripper conta a história Brás de Oliva Domingos, um jornalista que escreve obituários ao jornal local da cidade e também escritor de romances. Criado pelos dois irmãos brasileiros Gabriel Bá e Fábio Moon, pelo selo Vertigo da DC COMICS, distribuída aqui pela editora Panini, os irmãos nos mostram a vida e os dias mais importantes de Brás. A história da vida do personagem principal não se enrola e dá continuidade as edições seguintes, pelo contrário, a cada edição é mostrado uma perspectiva diferente de toda a vida de Brás. E justamente a isso e o que faz prender o leitor ao querer descobrir qual será o destino final de Domingos. Por serem histórias únicas a cada edição e não lineares, a dupla de irmãos paulistanos nos dá o prazer de aprender sobre a vida e a morte, colocando as duas e indiferentes momentos da nossa vida como aprendizado. Desenhos e traços lindos fazem toda a diferença na hora da leitura, é o que imerge o leitor a entender um pouco mais os momentos que estão sendo descritos e ilustrados. O espaço em que se desenvolve a história é gratificante por ser em algumas cidades brasileiras e principalmente a maior metrópole brasileira, São Paulo. Se você conhece a capital paulista pode encontrar em alguns momentos no quadrinho lugares famosos e conhecidos como, o Parque Ibirapuera, o Obelisco de SP, o Hospital Santa Catarina na Av Paulista, o Teatro Municipal, o Aeroporto de Congonhas... É gratificante também ter a sensação que Brás realmente existiu. Por ele ter participado de alguns momentos da nossa história como o trágico acidente aéreo em Congonhas do voo TAM 3054 em 2007.

Gabriel Bá e Fábio Moon

 
Brás ao longo da sua vida entende que somos humanos, temos defeitos e podemos errar. Mas não só ele... As pessoas que você mais ama também não são perfeitas. Com problemas de relacionamento com o seu pai, o escritor famoso Benedito de Oliva Domingos, e ao mesmo tempo o admirando por querer ser como ele não como a imagem de um bom pai ou uma boa pessoa, mas profissionalmente, Brás compreende e leva a sua vida e seus momentos como uma espécia de poesia, onde essa poesia independente do que a influência ajuda-o a viver a sua vida melhor.

Os demais personagens, independente se são secundários ou não, também completam esse tal aprendizado existente no quadrinho. São exatamente eles que dão a Brás o final da linha do aprendizado e comovem não só Brás como a todos que estarão acompanhados. Bá e Moon também mostram a importância de um relacionamento, sendo ele conhecido ou desconhecido, que pessoas próximas a você são interligadas e qualquer “faísca” pode comprometer a vida dessas pessoas. A amizade de anos e decepções amorosas. E até encontrar a pessoa que irá dividir a vida com você até o fim.

Existem muitas coisas na vida que é difícil de entender, e maior ainda é o desafio de traduzir isso em palavras. Amizade certamente é uma delas.

Em 2011 Daytripper foi premiada como a “Melhor série limitada” pelo Eisner Awards, “Melhor História em Edição Única” pela Harvey Awards e outras premiações durante o ano. Tais esses prêmios ajudaram mais ainda a firmarem os gêmeos paulistanos como referência a qualquer outro grande nome da arte sequencial. E serem os primeiros brasileiros a ganharem o Eisner Awards e o mundo dos quadrinhos.


 Vivemos em uma sociedade formada por estranhos. A cada dia, nos sentimos mais distantes dos outros, mais sozinhos, tudo isso enquanto estamos cercados por milhões. A cada dia vemos nossa cidade se transformar em um deserto. No qual estamos todos perdidos. Olhando para oásis que gostamos de chama de "amor". Quanto mais esperamos, mais tudo - e todos - parecem um grão de areia escapando entre nossos dedos antes de desaparecer ao vento. Como encontramos algo - ou alguém - que não podemos mais ver, mas que está ali diante de nós? E como manter o que há de mais precioso na vida?

 Sem duvidas "Daytripper" é uma das obras mais importantes que existe no nosso histórico brasileiro de quadrinhos. Se você quiser compreender um pouco mais sobre o siginificado de "viver" e alcançar aqueles momentos imaginados por você no seu próprio futuro, Daytripper não é uma "escolha", é um manual para a vida.

... Nenhum livro está completo sem o final. E quando você chega lá... Só quando você lê as últimas palavras... Você vê o quão bom esse livro é.

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta