#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: A Culpa é das Estrelas

13 de fevereiro de 2013


Título Original: The Fault in Our Stars
Gênero: Drama
Autor: John Green
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Nota pessoal: 4

Primeiro livro escolhido para o Desafio Realmente Desafiante 2013 foi A Culpa é das Estrelas, não, ele não estava na lista original, mas depois de tanto burburinho entre meus amigos sobre este livro e de tantas indicações acabei optando por incluí-lo na brincadeira no item 2.

Sinopse:
Hazel Grace é uma adolescente que carrega como companhia a alguns anos um câncer nos pulmões e um cilindro de oxigênio. Para tentar combater a depressão, que seus pais julgam que ela tenha, passa a frequentar um grupo de apoio a pessoas com câncer e lá conhece Augustus Waters e Isaac, juntos eles lutam contra o câncer, o preconceito e as limitações em busca de bons momentos bons que não sejam "privilégios do câncer".

Personagem favorito:
O trio se completa no livro, não consegui separar os três, mesmo nos momentos em que Isaac não estava presente, ele se fazia presente de alguma forma. São todos lindos.

Citações que me chamaram a atenção:
"Ele suspirou, soltando o ar por tanto tempo que, para os meus pulmões de araque, parecia que ele estava se gabando."
"Depois do último da roda, o Patrick sempre perguntava se alguém queria se abrir. E aí começava a punheta grupal de apoio mútuo: todo mundo falando de lutar, combater, vencer, remitir e examinar."
"O amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim."
Fonte: A Culpa é das Estrelas

Crítica:
O ruim de se escutar muito sobre um determinado livro são as altas expectativas que criamos com a obra, e mais uma vez sofri com o preciosismo dedicado ao livro de John Green e acabou que não recebi aquilo que era esperado do livro.
Mas sim, eu gostei do livro, achei-o muito bom para falar bem a verdade, só não achei que era tudo o que estavam dizendo por aí, claro que opinião é pessoal e respeito a de cada um dos leitores.
O livro é bem escrito, tem uma narrativa divertida, gostosa e envolvente mas não me emocionou.
Sei que algumas pessoas podem me chamar de insensível ao extremo por não ter me emocionado com esta história, mas o ponto é que a narrativa não tocou lá no fundo trazendo aquela torrente de emoções, como alguns escritores têm o dom de fazer.
Não adianta se escrever um bom drama se a narrativa não toca o leitor, por mais triste que a história possa ser, dependendo da forma como é contada, ela não necessariamente emociona.
Além disso pude perceber que o escritor adotou uma narrativa adolescente durante alguns dos diálogos do trio e, se não houvesse a identificação de quem estava dizendo determinada frase, certamente causaria confusão porque, todos falavam da mesma forma, inclusive o "e tal" ao final de algumas frases.
Tirando estes pontos que não julgo negativos e sim que poderiam ser melhor explorados, achei o livro fofo, com uma história muito bonita.
A amizade criada por Gus e Hazel, embora previsível, é bastante crível e divertida. Porém o que eu mais gostei no livro foram as tiradas sarcásticas em tudo o que se refere ao câncer e ao modo como os portadores lidam com isso, outro ponto que me convenceu bastante, como exemplo são as citações acima.
É um livro que vale a pena ser lido, mas para evitar frustrações desnecessárias é bom baixar um pouco as expectativas e se preparar para uma história de descobertas, aventuras e de "privilégios do câncer". É claro que recomendo.

Curiosidades:
As filmagens para a adaptação do filme devem ser iniciadas ainda em 2013. A produção esta a cargo de Marty Bowen e Wyck Godfrey, produtores da Saga Crepúsculo, tendo como roteiristas Scott Neustadter e Michael H. Weber e sairá pela Fox 2000. O eleno ainda não foi escalado, mas isso deve acontecer em breve.

Fonte: Intrínseca

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta