#VocêTemUmaMenteMilionária

Mangá: Sakura Card Captors

26 de fevereiro de 2013




Praticamente IMPOSSÍVEL alguém não conhecer esse mangá, sinto que minha "resenha" [ pq não sei bem se é isso que eu venho fazendo ] vai ser meio inútil.  Mas eu preciso comentar sobre esse que é, um dos pilares do universo dos mangás, ao menos para nós, brasileiros.


Em contraste com o ultimo post que eu fiz [ Lost Canvas ], onde caras altamente poderosos vestidos com armaduras lutam, se socam e tiram sangue um do outro de formas incríveis e quase sempre de formas fisicamente impossíveis, neste post vou falar sobre um mangá -de menininha- onde uma garotinha do ensino fundamental libera um poder oculto e passa, a partir dai, a caçá-las e aprisioná-las novamente nas cartas de onde fugiram.


Sinceramente? Vocês conhecem Sakura Card Captors. Mas ainda sim vou fazer uma resenhazinha em respeito á Vivi, pq tenho certeza que ela não faz ideia de quem seja. KKK 

  Sakura Kinomoto é uma garota de 10 anos, habitante e estudante da cidade de Tomoeda. A aventura toda começa no dia em que Sakura desce até o porão de casa e abre um livro chamado O Livro Clow de onde saem 52 cartas. Essas cartas saem voando e se espalham por toda a cidade, isso porque Sakura ao abrir o livro pega a primeira carta e ao ler seu nome, a liberta. Sakura descobre então Kerberos, um pequeno ser muito parecido com um bichinho de pelúcia, que se denomina O Guardião das Cartas.
   Kerberus explica que devido ao seu sono, deixou que Sakura abrisse o livro, e que agora é obrigação de Sakura encontrar as outras 51 cartas espalhadas pela cidade, para assim evitar as gigantescas confusão que estas causarão caso se libertem.
   Sakura munida da carta VENTO, da chave-báculo que lhe permite dominar os poderes das cartas e Kero [apelido de Kerberus], passa a ser uma CardCaptor.
   No desenvolver da história, outras personagens aparecem, Tomoyo uma fiel amiga de Sakura, seu irmão Touya e mais adiante Syaoran, um outro CardCaptor vindo de HingKong.  



Sakura Card Captors é um Mahō Shōjo, que é um subdivisão do Shōjo.
Shojo é o exato oposto de Shonen. Este que literalmente significa "garotos" define todo um gênero de Mangá direcionado para o publico masculino jovem, por sua vez, Shojo significa, também literalmente, "garotas".
Já o Maho significa Magia. Ou seja, a classificação dada para o mangá Sakura Card Captors é -Garota Mágica- nesta mesma classificação estão mangás como Sailor Moon e Guerreiras Mágicas de Rayeath.

A Classificação Maho Shonen existe, porém é muito menos conhecida e ouso até dizer, menos procurada tanto por leitores quanto por escritores. Convenhamos, "Garoto Mágico" não é algo que atrairia muito a atenção dos garotos. Uma vez que o próprio Shonen já assume essa categoria.


Muitos de vocês, e teimo em duvidar do contrário, conhecem Sakura Card Captors pelo anime, que passava na "pseudo-falecida" CartoonNetwork, que hoje já não é mais a mesma coisa. [ dai o pseudo ]
O Anime contém exatos 70 episódios, com os extras de 3 OVAS e 2 filmes.


Já o Mangá está finalizado, obviamente  Foram publicados de 1996 até 2000, os 12 volumes pela JBC, no Brasil. Sem Fillers nem nada do gênero, é uma história curtinha :/ Sakura é uma produção do divino grupo CLAMP, que é um grupo de mangakás autoras de algumas séries simplesmente ótimas que variam de Shoujos até temas adultos. [ Ainda falarei sobre alguns outros mangás da CLAMP aqui na coluna]. O grupo era originalmente composto por 12 integrantes, atualmente é composto por 4.


Minha Singela Opinião: Eu gosto muito *.* 

Sakura Card Captors é um manga/anime com uma história muito leve e muito facilmente acompanhável [?] o mangá  possui um traço mais complicado e mais trabalhado do que os mangás que eu já resenhei aqui. Diferença esta, devido à própria classificação. Uma vez que é um mangá voltado para o publico feminino jovem, deve-se citar o uso insano de asinhas, lacinhos, babadinhos, desenhosinhos, coisas fofinhas e semelhantes, durante as cenas. Fora isso o traço à que me refiro é mais pesado, porém no quesito DETALHES. Cabelos esvoaçam 400x mais que em outros mangás e é desenhado quase que fio por fio, esse tipo de coisa.


O Anime entretanto, tem uma abordagem mais leve. Ainda que os lacinhos, asinhas e fofurinhas continuem aparecendo, as personagens são mais solidas e opacas, sem o efeito translúcido de leveza que é aplicado nas publicações. AS CARTAS, ainda sim, possuem todo esse detalhamento técnico, que é o que no meu caso, fez com que eu me interessasse. 


Caso vocês se lembrem, eu sou estudante de Design, e fora isso sou um aficionado em desenho [Quem sabe não venha a postar alguns dos meus desenhos aqui]. Assim peço que entendam quando julgo algo pelo "traço" e não puramente pela história/enredo. 


Uma parte quase essencial de um objeto de publicação é a maneira com a qual ele conversa com o publico. Imagino e espero que muitos de vocês, leitores, já tenham passado pela experiencia de pegar um Mangá, ou mesmo uma HQ, e tenham sentido "aquele interesse" ou então tenha sentido "aquela confusão" ao folhear as páginas do referido. Isso porque Gosto é Gosto, e nenhuma  técnica é perfeita. Um mangá com traço pesado pode vir a agradar da mesma forma que um livro cuja fonte é enorme pode vir a incomodar.

 -- ponho nessa categoria o DragonBall e OnePiece, ambos que, inexplicavelmente eu detesto sem nunca ter me aprofundado na história --

Voltando ao propósito e levando em conta o que eu disse sobre traço, e finalmente Seguindo o MÉTODO PATENTEADO VIVIFERR DE AVALIAÇÃO, a nota que eu dou para esse mangá é 4



LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta