#VocêTemUmaMenteMilionária

Mangá: Witch Hunter

12 de fevereiro de 2013



Sabe o que eu estava pensando?

Já falei demais aqui sobre Clássicos; Cavaleiros do Zodíaco, Shaman King, Fairy Tail... pra mudar desta vez, vou falar sobre um mangá que eu descobri a pouquíssimo tempo [arrisco à dizer que há umas 3 semanas] e não se encaixa na categoria dos clássicos  e que já me agradou muito!


Para começar isso aqui não é um Mangá, e sim um Manhwa. Isso me lembrou aquela famosa briga entre "Bolacha" e "Biscoito" ...

As diferenças entre um "Mangá" e um "Manhwa" são, basicamente, poucas. o segundo é o termo cognato do termo ja conhecido "mangá", mas usado quando nos referirmos às histórias em quadrinhos na Coréia. "Fora da Coreia, o termo se refere especificamente a histórias em quadrinhos da Coreia do Sul", a wikipédia ressalta. Existe também o termo "Manhua" que possui o mesmo intuito, em relação as histórias em quadrinho, entretanto empregado na China. [Não sabia dessa diferenciação, até este manhwa me cair em mãos]


Curiosidades: Pouquíssimas animações baseadas em manhwa são produzidas. Sua leitura é à Ocidental. Isto devido ao sentido da leitura usado no Hangul, que é alfabeto silábico utilizado na escrita do coreano. [Sem duvidas isso facilita para aqueles que se perdem na leitura do mangá normal] e o nome do equivalente ao Mangaká é Manhwaga [a diferença é absurda, não?]

Wicth Hunter é um Manhwa de 2006 classificado como Sonyung [equivalente ao Shonen dos mangás], possui atualmente 83 capítulos ainda está em publicação. É de autoria do manhwaga Cho Jung-Man, e  tem a seguinte e breve sinopse:

Em um mundo onde as bruxas declararam guerra contra a humanidade, fazendo com que dois terços do mundo desmoronassem, a população humana sobrevivente reuniu especialistas com o poder de caçar e destruir bruxas. Tasha Godspell, também conhecida como a "Magic Marksman", é um dos melhores Witch Hunters que existe. Junto com seu parceiro de espadas em punho, Jack-o'l-Lantern [o Jack Cabeça-de-Abóbora] conhecido como Halloween, Tasha coloca seu treinamento mágico e de armas em bom uso em suas constantes batalhas contra as bruxas. E, no entanto, ele não consegue se forçar a odiar todas as bruxas a quem ele é encarregado de destruir.

Fui atraído de primeira. Não saberia explicar o que me causou mais interesse, essa coisa de "bruxas declararem guerra contra a humanidade", o parceiro do fulano ser o Jack Cabeça-de-Abóbora, ou o fato de um caçador de bruxas usar magia para caçar bruxas... ou ainda o fato de que após Harry Potter tudo com a palavra Bruxo/Bruxa passou a ter um certo efeito nostálgico e chamativo em mim; a questão é: Não esperava grande coisa, aliás eu esperava uma grande besteira. E fiquei Surpreso.

Tasha é um atirador [garoto de cabelo branco da imagem], ele usa armas "mágicas" para derrotar suas inimigas bruxas, que são somente mulheres  que de certa forma "evoluiram" e se tornaram capazes de produzir Mana [Foça Mágica] em seus corpos. Estas bruxas então associam-se à entidades, chamadas Supporters, para desenvolverem técnicas mágicas poderosas para auxilias então na guerra contra os humanos. Tasha, sendo um Witch Hunter [Caçador de Bruxas] é um membro de uma organização especializada na destruição de bruxas. Esta instituição além de se encarregar da destruição das bruxas derrotadas por seus agentes de campo, possui também suas próprias bruxas aliadas, aquelas que com a ajuda de seus supporters, auxiliam os chamados WH na tarefa de "expurgar o mundo de Bruxas Malignas que visam a destruição dos humanos"


PRECISO ADMITIR, ele tem partes que me deixaram confuso. Na verdade muito confuso e outras que ainda me deixam meio sem entender alguns detalhes. Algumas personagens se confundem e outras eu simplesmente não consegui entender como são capazes de fazer as coisas que fazem. Entretanto, como na maioria das histórias, detalhes e pormenores são revelados com o tempo e mais ao fundo com o próprio desenvolver, fazendo com que eu não me preocupe tanto com alguns destes detalhezinhos. O mais importante pra eu ressaltar é que a história em si me deu uma enorme vontade de continuar a ler, espero que assim seus mistérios e complicações se revelem e se descompliquem.


Algo que eu preciso dizer também é, o humor usado na história é delicioso.  Para os leitores que não me conhecem [imagino que a maioria esmagadora] para mim, o humor precisa sempre ser : Inteligente e com a dose certa de veneno, aquilo que pende entre o Cruel e o Politicamente Correto. E eu achei isso, principalmente na personagem principal, o Tasha. - muquirana, egoísta e levemente egocêntrico, hão aqueles que dirão que me identifiquei, ele é é estupidamente engraçado, sério e venenoso com todos.


Algumas considerações finais - Cho Jung-Man é excepcionalmente um ótimo desenhista, o traço usado em todas as personagens e ambientes é perfeito, de uma forma limpa e  concisa  ele transmite facilmente té as menores alterações tanto nas emoções quanto nas situações físicas das personagens, estas que possuem características de personalidade apaixonantes e hilárias.


Seguindo o MÉTODO PATENTEADO VIVIFERR DE AVALIAÇÃO, a nota que eu dou para esse mangá manhwa é : 4

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta