#VocêTemUmaMenteMilionária

Mangá: Death Note

26 de março de 2013


VOLTANDO AOS CLÁSSICOS - e com uma mangá insuperavelmente original e épico.

Sabe aquele livro o qual você não consegue parar de ler? fica pensando no desenrolar da história quando está longe do livro, cria expectativas e teorias sobre como, onde, e porque as coisas aconteceram na história, se envolve com os personagens mas ainda sim não tem muita certeza de qual deles é seu favorito e porquê, e no fim tudo sempre acaba surpreso e intrigado, e uma vez mais, não consegue desgrudar a atenção da aventura a qual você não consegue nem arriscar pensar em como será o fim?


Isso, meus amigos, é Death Note.
Mais abaixo, a sinopse.


     É contada a história de Yagami Raito, um estudante japonês típico, se não fosse sua inacreditável inteligencia, que o coloca na posição de estudante mais inteligente do Japão. Raito tem a vida extremamente monótona repartida entre casa, escola e cursinho. Nada de vida social nem passeios com colegas. Enquanto vive essa vida repetitiva e totalmente voltada para os estudos, Raito se questiona sobre o mundo. Chegando a conclusão de que não existe esperança, o mundo é um lugar caótico e violento, sem respeito. Um lugar Podre.
     Sua vida era assim até o momento em que um caderno negro cai do céu e Raito o encontra. Dentro do caderno intitulado "Death Note" está um manual de utilização. Nas citações é explicado que qualquer pessoa cujo nome for escrito em suas páginas morrerá dentro de quarenta segundos de um ataque cardíaco, no caso de as condições da morte não serem especificadas ou impossíveis. Para tal, é necessário que o escritor saiba o nome da vítima e conheça seu rosto. [para que homônimos não sofram no lugar da verdadeira vítima]. Cético em relação aos poderes do caderno, Raito acaba por testá-lo escrevendo o nome de um criminoso cuja imagem está passando na televisão.
     Assim que o criminoso morre Raito crê no poder do caderno, e após alguns outros testes onde eles especifica as causas da morte, ele entra em conflito consigo mesmo.
     Ele entende ser um assassino, mas também acredita que cometera um ato de bondade para o mundo, eliminando um criminoso, mesmo que ao matá-lo.
     Raito passa a acreditar que é o unico capas de julgar as pessoas, entra então em consenso consigo e assume o papel de um justiceiro, o encarregado de eliminar o mal do mundo com suas próprias mãos, tornando-se algo como um Deus, com a missão de criar um novo mundo de justiça.
     Após inúmeros assassinatos auxiliados pelo caderno, ele conhece Ryuk, um shinigami [um Deus\Emissário da morte, na cultura japonesa], e este lhe conta que é o verdadeiro dono do caderno, e que o jogou na terra pois estava entediado.
     Raito ouve atentamente as palavras do Deus da morte e ainda sim, mantém sua visão sobre limpar a terra do mal, mesmo que isso impeça que sua alma vá para o paraíso e mesmo para o inferno. Sendo assim, ele passa a assassinar criminosos, mas suas ações não passam em branco por muito tempo.
     Após a matança de condenados, todos por ataques cardíacos, a polícia começa a suspeitar dessas e de outras mortes que vem acontecendo em todo o país.
     L como é conhecido, é o melhor detetive do mundo. E ele assume o encargo de solucionar o mistério das mortes e capturar o culpado. Raito é denominado então como KIRA [derivação da pronuncia japonesa para Killer].
     Após esse momento dá se inicio a uma luta entre inteligencias, as quais procuram sempre encontrar e derrubar a outra, em meio à um combate de psicologias e estratégias e crenças por parte dos dois personagens que definem a si próprios como - a verdadeira justiça- 

É claro que muitos outras personagens entram no caminho dos dois. Algumas aliam-se ao L e outras aliam-se ao Kira. E todas são usadas como inofensivas peças em um jogo muito maior, disputado pelo assassino e pelo detetive.

Death Note é um mangá -SEM PRECEDENTES-. O autor Tsugumi Ohba prende a atenção do leitor de uma forma inesperada e sem escapatória. O mangá possui muitos diálogos e explicações e textos, preciso ser sincero, são imensos; o que em 99% das chances mataria a vontade de se continuar a leitura. Mas tanto o autor, quanto o mangaká, Takeshi Obata, construíram a história para que não fosse assim tediosa e cansativa. E é, eles obtiveram êxito.


De início a história já é atrativa. Uma ideia interessante, um protagonista próximo da realidade, uma arma silenciosa, e a possibilidade de mudar o mundo sem que te descubram. Afinal, QUEM nunca desejou poder matar aquele[a] fdpezinho[a] da escola, do trabalho, do circulo de amigos, sem que ninguém lhe culpasse? 
-essa eu admito; culpado com louvor xD


A história é muito mais do que uma narrativa de criaturas mágicas, batalhas entre Bem e Mal e romance. A história trabalha com elementos filosóficos e psicológicos do nosso dia-a-dia. São abordados assuntos políticos, sociais, culturais, religiosos num eixo de batalhas de inteligencia. Aliás, esse é um mangá completamente sem "lutas" no sentido físico. Todas as brigas, batalhas e afins são travadas com elementos mentais e perspicácia das personagens.

Vou listar também alguns "defeitos" da história, afinal nada é perfeito. E por mais que algumas das coisas listadas na sequencia, não sejam -a minha opinião à respeito-, penso que são interessante e que possuem alguns pontos de razão.

Por exemplo, é dito que a repetitiva "mudança de velocidade" da história é cansativa, e faz com que o leitor perca a vontade de ler. Isso pois o rápido desenrolar das coisas não segue sempre como é no começo. O mangá passa por períodos alucinantes e de acontecimentos sequenciais rápidos e então entra em períodos em que "não muita coisa acontece", para ser logo seguido de eventos grandiosos e assim por diante.

Os autores, por mais brilhantes que tenham sido, chegam em pontos na história em que obrigam o leitor a parar, ler alguns dos acontecimentos passados e então voltar a ler, e ainda sim, estes podem não entender direito o que está acontecendo. Devo assumir que isso é verdade. Aparentemente a inteligencia do Raito e do L me superaram e acontecia de durante uma das fases da história [ o enredo da empresa Yotsuba ], eu precisar voltar alguns capítulos para entender whatafuck estava acontecendo.


Não tem muito mais coisas que eu possa dizer, por mais que eu saiba que muitos de vocês já leram Death Note [até porque, convenhamos, não é uma coisa nova no mercado de mangás e fez um sucesso do demônio], preciso sempre ter em mente que pessoas como a Viviane, que SE APAIXONARIAM PELA HISTÓRIA, ainda não tiveram contato com ela.

Death Note é de 2003 - 2006, logo, já está finalizado - sim, vocês que não conheciam podem ler do começo ao fim de uma só vez - com 12 volumes, 13 se adicionarmos o volume extra com informações sobre a série. Já o Anime de Death Note possui 37 episódios e o "fim da história" é diferente. OBVIAMENTE não lhes direi como se passa essa diferença, só direi que preferi o fim no mangá.


Houve tentativas de fazer um LiveAction, o qual foi realmente feito no japão. e o mesmo qual foi um fracasso. Não assisti, meu medidor de vergonha alheia provavelmente não aguentaria assistir, mas é dito que foi um fracasso, apesar de algumas cenas serem exatamente iguais as do mangá, os personagens não eram. Entretanto descobriu-se que está sendo feita, sem previsão de término, uma versão americana do filme Live Action de DeathNote .-. talvez Hollywood dê conta do recado [?]

Quanto ao desenho do mangá, ele tem aquele aspecto pesado, mas na minha singela opinião, não é. O tema quase que necessita disso, então não é um "EpisodeG", onde os traços são pesados e cheios de informação desnecessariamente. Fora que o trabalho de colocação de Luz e Sombra no mangá é ótimo. O desenhista consegue transmitir a tensão dos momentos com a direção da luz ou a quantidade de sombreado no rosto e dos objetos. Fora que as artes das capas, são LINDAS.

Capas dos Volumes #4 e #12

Seguindo o MÉTODO PATENTEADO VIVIFERR DE AVALIAÇÃO, a nota que eu dou para esse Mangá é 5

[enquanto fui buscar os dados de publicação do Death Note, descobri que existe um Spinoff da série, chamado " Death Note - Another Note: O caso dos Assassinatos em Los Angeles " que eu não sabia sequer da existência. É uma LightNovel em volume único de 2006. Assim que eu conseguir lê-lo, escreverei sobre ele.]


LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta