#VocêTemUmaMenteMilionária

Mangá: Clockwork Angel

2 de abril de 2013



Nesta postagem sobre mangas, eu vou tratar de uma história que em si não é um mangá. Mas uma adaptação para o formato mangá, a partir da história de um ótimo livro.

Para vocês que já leram algum livro da autora Cassandra Clare, não será surpresa a história que se passa em As Peças Infernais - Anjo Mecânico [ The Infernal Devices - Clockwork Angel ]. A História segue narrando a vida dos ShadowHunters, estes que são apresentados no primeiro livro da autora Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos [The Mortal Instruments - City of Bones, que ganhará uma adaptação cinematográfica agora em 23 de agosto *-*], porém na Era da Rainha Vitória, a famosa era vitoriana, conhecida pela Revolução Industrial, a chegada do maquinário e a implementação de industrias, e o que também deve ser mencionado, comércio com a China.


Assim, Anjo Mecânico trata dos Shadowhunters da Era vitoriana, e não só isso ele nos revela alguns detalhes que, possivelmente, tenhamos passado despercebido durante a leitura da saga Princiál, Instrumentos Mortais. ENTRETANTO, você pode vir a ler As Peças Infernais, antes. A graça das peças que se encaixam entre as sagas funcionam em via de mão dupla. Tanto Uma Quanto A Outra, Podem Ser Lidas Primeiro. [OBS: Não sei se a Vivi já fez resenha deste, mas suspeito que não. Então vejam aqui cmo uma Preview, caso ela venha a fazer a resenha um dia

Para os que não são familiarizados com a história, trago-lhes aqui, uma breve sinopse de As Peças Infernais -  Anjo Mecânico :



Tessa Gray, uma das personagens principais, é obrigada devido a morte de sua tia a ir morar com seu irmão mais velho que havia se mudado para Londres. Ao chegar em Londres, uma cidade tomada pelo crescimento industrial, Tessa é sequestrada por duas mulheres que se dizem mandadas por Nathaniel Gray - irmão de Tessa- para encontrá-la e assistí-la. As duas senhoras então passam a manter Tessa em uma espécie de cativeiro.
Nesse Cativeiro, as duas senhoras obrigam Tessa a "treinar" uma habilidade que nem ela sabia que possuia, o dom de se transformar em qualquer um, simplesmente ao tocar em algum pertence dessa pessoa. Tessa vem a descobrir que elas pretendem casá-la com o empregador de seu irmão, um homem até então apenas conhecido como o Magistrado.
Tessa é salva deste cativeiro pelos Caçadores de Sombras do instituto de Londres, que lhe dão abrigo e prometem fazer de tudo para encontrar seu irmão, até então desaparecido sem rastros.
Mas as grandes portas da casa dos Caçadores de Sombras não podem defendê-la totalmente, uma vez que ninguém sabe nem mesmo o que Tessa é, e porque possui esse estranho poder. Enquanto refugiada com seus agora amigos, Tesa é alvo dos interesses do Magistrado, que por meio de seus autômatos, estranhas máquinas humanoides, ataca e cria um caos na sociedade de criaturas sobrenaturais.

[ Agora uma frase épica e digna da Sessão da Tarde, porém tirada da wikipédia ] 

"Junto ao temperamental e misterioso Will e seu melhor amigo James, cuja frágil beleza esconde um terrível segredo, Tessa vai aprender a usar seu poder e conquistar um lugar ao lado deles na batalha. Tudo isso para tentar descobrir quem é o Magistrado e qual é a origem de sua habilidade sobrenatural. E sem que ela se esqueça, é claro, de tentar controlar a atração que sente pelos dois garotos. Afinal, muitas vezes o amor é mais poderoso do que qualquer magia."

- A saga As Peças Infernais Possui três livros, o primeiro já lançado no Brasil, o segundo com data prevista para Maio, se não me engano, e o terceiro que acabou de ser lançado nos Estados Unidos em Março - 


Quanto a versão em mangá, o que eu posso dizer??

Ele é absurdamente coeso com a história do livro, e é surpreendente como o desenhista conseguiu transmitir todos os sentimentos e características das personagens nos desenhos, uma vez que não fora ele que as criara primeiramente. As falas não são longas e o Mangá possui a leitura Ocidental. Não tenho conhecimento de versão Brasileira para a adaptação em mangá.


O desenho do mangá segue o Clichê; detalhado, traço fino e olhos enormes. Eu gostei muito das formas usadas, ainda mais pelos quadros "de piada" - que eu acho não podem faltar em nenhum mangá que se preze - mas algo que me incomodou, é o traço extremamente leve, o que as vezes, faz com que não notemos todos os detalhes em cena... Confundindo um pouco o sentido da leitura. Uma vez que, como as coisas não são narradas no livro, você perde detalhes dos desenhos.


Eu aconselho a leitura do mangá após a leitura do livro, já que este pode ser obtido em português  para uma melhor compreensão do universo criado pela Cassandra Clare, e mesmo porque o livro é, imensamente mais detalhado e mais informativo que o mangá, mas ainda sim, este não deixa de ser bom por si só. Repito, é incrível como condiz com a história original, me atrevo a dizer que possui diálogos INTEIROS transcritos.

Como não poderia deixar de fazer uma pequena propaganda, peço que, caso se interessem pela História ou caso já tenham lido os livros e tenham gostado, não deixem de acessar o Idris.com.br, o FanSite das Séries da Cassandra Clare, no qual também faço parte da Equipe. 


Minhas considerações finais : ÓTIMO, apesar de não muito o meu estilo de desenho, ainda sim MUITO bem desenhado. E por fim, MAL consigo esperar pela sequencia, a adaptação para mangá de Clockwork Prince.

 Seguindo o MÉTODO PATENTEADO VIVIFERR DE AVALIAÇÃO, a nota que eu dou para esse Mangá é 4

~~~~//~~~~

Esse post foi  graças ao -maravilhoso- presente de aniversário que eu ganhei.

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL