#VocêTemUmaMenteMilionária

Mangá: Fate/Stay Night

6 de agosto de 2013


O mangá que eu comentarei desta vez será:


Haviam me contado deste "mangá" em um dia no Ibirapuera, o que eu acho, já faz uns bons 2 anos e meio. Aconteceu da seguinte forma... "Oi, Artur, então... você poderia me fazer um desenho?" e como toda pessoa com a mínima habilidade para tanto, essa não foi a primeira vez que me pediram algo desse tipo em um momento inoportuno, entretanto, foi a primeira vez que me pediram isso em um piquenique, "Ah Claro Marko! mas você quer que eu desenhe o quê?" " Quero que você desenhe a personagem principal de um anime que eu estou assistindo, ela tem o seu nome"...






Naquele momento eu não entendi muito bem porque uma personagem FEMININA se chamaria "Artur", e nem que isso seria um grande Spoiler, no caso de eu vir a assistir/ler. No fim, assunto vem assunto vai e mudamos o rumo da conversa. E é, dividi um spoiler com vocês.

Resumindo, ainda não fiz este desenho ao meu amigo Marko, MAS NÃO SE PREOCUPE, estou imediatamente providenciando. E na minha busca, meio relapsa, por mangás que me atraiam, eu acabei lembrando deste episódio de um dia ensolarado no Ibirapuera.

Sendo assim:

O protagonista, Emiya Shirou, tinha perdido seus pais em um incêndio quando ainda era uma criança. Foi adotado por um homem misterioso chamado Emiya Kiritsugu, o qual apresenta-se como um mago. Com o consentimento de seu padrasto, Shirou começa a estudar magia, entretanto, não possui talento natural para isso, assim, só é capaz de um único tipo de magia.
.
Um dia, ele é envolvido acidentalmente em uma luta entre dois indivíduos que aparentemente usam magia. Pelo uso de magia ser um segredo, Lancer, um dos envolvidos na luta acaba assassinando Shirou na tentativa de eliminar testemunhas. Mas uma aluna de sua escola, Tohsaka Rin salva sua vida. Lancer o persegue e o ataca novamente, e no momento crítico, Shirou acaba invocando Saber.

Ao invocar saber, Shirou acaba se mostrando um dos 7 Mestres escolhidos para lutar a Guerra do Graal.


 Essa sinopse deixa MUITO à desejar sobre a história, mas isso é proposital. tratarei de alguns assuntos adiante:

A Guerra do Graal é, como dita na história, uma puta luta ritual sagrado com o objetivo de encontrar o Mago digno de possuir, e ter seus desejos realizados pelo poder imensurável do Santo Graal.

Nesta Guerra, Sete Magos são escolhidos pelo Graal e recebem deste o poder de invocar um servo e comandá-lo com um número limitado de ordens irrefutáveis. Estas ordens são garantidas pelas marcas que o mago (mestre) adquire em seu pulso ao invocar seu servo.


 Estes "servos" são espíritos de heróis lendários que já viveram em nosso mundo. Estão divididos em Sete classes de acordo com suas habilidades, sendo estas : Saber (O espadachim), Archer (O arqueiro), Caster (O feiticeiro), Berserker (O insano), Lancer (O lanceiro), Assassin (O mercenário), e Rider (O cavaleiro).

Uma vez em posse de seu servo e de suas ordens, o mestre deve eliminar os servos dos outros mestres, fazendo uso das habilidades de seu próprio servo mais suas próprias habilidades para estratégias e planos de luta. O vitorioso então, terá a chance de ter seus desejos realizados pelo Santo Graal.

O que mais me atraiu nessa história, foi essa utilização de personagens, tanto reais quanto fictícios da nossa história mundial como os guerreiros dessa tal guerra. Ao começar a ler, adorei a forma com a qual eles introduzem o "Herói" tal em sua classe e em sua posição de servo.

Casa servo possui um ou mais artefatos mágicos de poderes absurdos, esses artefatos são chamados de "Nobre Fantasma". Estes artefatos são, as armas mágicas que os auxiliaram na tarefa de se tornarem heróis durante seu tempo de vida, e é a partir deles, que a identidade do servo pode ser descoberta. Sendo assim, muitos dos servos optam por esconder seu nobre fantasma até que não haja outra alternativa. Pois, devido à fama que possuem, exibir seu nobre fantasma acarretaria em uma desvantagem imediata no caso do oponente o reconhecer.


Stay/Fate Night é uma VISUAL NOVEL.

Visual Novels são, na explicação mais neandertal que eu consegui bolar, a prole entre Livros e VideoGames.
 ~ Eu não sabia que isso sequer existia, então vejam a definição tirada da wikipédia, e que na minha opinião, não deixa duvidas do que se trata ~

"São jogos focados no enredo, nos quais o jogador acompanha uma história por meio de textos, músicas e imagens, e, em alguns raros casos, cenas gravadas com atores reais. Em momentos-chaves desses jogos o jogador deve decidir que caminho o protagonista deve seguir e, desta forma, o jogo avança. O desenvolvimento da trama destes jogos costuma depender das escolhas que os jogadores fazem durante o jogos. São como filmes ou livros interativos; daí o nome "visual novel"."



E possui adaptações para: Mangá [o dito cujo tema da postagem], Anime, e pelo menos 13 jogos diferentes e uma OVA chamada "Fate/Stay Night Unlimited Blades Works".
Possui várias v-á-r-i-a-s sequencias. Ao ponto de eu não conseguir entender a maior parte delas, pois:

a) são Visual Novels não adaptadas para os meios que eu conheço.
b) são adaptações de partes com histórias alteradas e fins alternativos.
c) eu não sei lidar com isso de fins alternativos, novos universos, eras e simplesmente mudar o passado de uma personagem do nada.
d) vide o porque não consigo lidar com HQ's da Marvel e Etc.

O meu plano é: Acabando o ultimo capítulo de Fate/Stay Night, assistirei o anime e então partirei para Fate/Zero, também em anime e mangá.


Fate/Zero conta a história da Guerra do Graal 10 anos antes da retratada em Fate/Stay Night. Algumas das personagens são abordadas mais profundamente, como por exemplo a Saber, o pai adotivo de Shirou e a relação destes com as famílias Von Einzbern e Tohsaka.

O mangá em sí é muito bom de se ler. Os traços dele me lembram muito o mangá "Witch Hunter" que eu já comentei aqui. O humor não é uma característica marcante, mas de forma alguma foi esquecido no desenrolar da história, inclusive, o anime é mais bem humorado que o mangá.

É uma pena que eu não os tenha encontrado em português, MAS, se você for como eu e não se importar com a salada cultural, os mangás são facilmente encontrados Online em Ingles. Você [IDIOMA: PT-br] lendo mangás [IDIOMA: Jp] em inglês [IDIOMA: Ing]

o anime de Fate/Zero parece muitíssimo melhor desenhado do que o de Fate/Stay Night.



 Seguindo o MÉTODO PATENTEADO VIVIFERR DE AVALIAÇÃO, a nota que eu dou para esse Mangá é 5

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL