#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: Perdão, Leonard Peacock

11 de setembro de 2013


Título Original: Forgive Me, Leonard Peacock
Gênero: Romance
Autor: Matthew Quick
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 224
Nota pessoal: 5
Compre aqui com desconto

Sinopse:
Leonard Peacock acordou no seu aniversário de 18 anos com uma certeza, de que nesse dia iria matar seu ex-melhor amigo e a si mesmo, mas antes ele precisava presentear 4 pessoas importantes em sua vida, ai sim iria cometer seu homicídio-suicídio.

Personagem favorito:
Leonard sem dúvida foi o personagem que me conquistou, principalmente por seus pensamentos irônicos, e também Walt que certamente seria um grande amigo em minha vida se eu tivesse o prazer de conhecer.

Citações que me chamaram a atenção:
Lá também diz: "Mais de um milhão de pessoas se suicidam todos os anos." Logo, de acordo com a Wikipedia, toda vez que nosso planeta dá uma volta em torno do Sol o suicídio dá fim a um milhão de desgraçados. Imagino o que Charles Darwin diria sobre esse pequeno e divertido detalhe. Seleção natural? Um modo de a natureza proteger o mais forte e o mais necessário? Será que minha mente é apenas um agente da natureza? Estarei a ponto de orgulhar o Tio Charlie Darwin?
-Você não acha que devemos discutir as consequências da minha possível falta de ação para que eu possa decidir se fazer ou não o que você pediu é realmente do meu interesse? Gostaria de tomar uma decisão consciente. Eu quero pensar. Afinal, estamos em uma escola. Você não deveria nos encorajar a pensar? Ajude-me nesse aspecto.
-Sim, a maioria deles parece infeliz. Apesar de tentarem disfarçar o melhor que podem. Jovens fingem melhor do que adultos, certo? Minha teoria é a de que perdemos a capacidade de ser feliz à medida que envelhecemos.
Eu estava certo; assim que você toma a iniciativa de conhecer alguém da sua idade, tudo o que você achava mágico a respeito dessa pessoa vira merda bem diante dos seus olhos.
Talvez, se de vez em quando imaginássemos os nossos inimigos se masturbando, o mundo fosse um lugar melhor.
Crítica:
Sinto que Matthew Quick esta trilhando o caminho certo para se tornar um dos meus escritores favoritos. Depois de ler O Lado Bom da Vida fiquei apaixonada demais, mas com uma única obra fica difícil qualificar um escritor, quando vi Perdão, Leonard Peacock não pensei duas vezes em comprar logo no segundo dia de Bienal do Rio e comecei a ler, simplesmente devorei e antes mesmo de terminar a viagem eu já tinha me deliciado a cada página virada.
Como podem ver o livro contém diversas citações que me conquistaram, e olha que não coloquei nem 1/3 de tudo o que marquei durante a leitura, apesar de um drama o livro é divertido, com um humor leve e um toque sarcástico.
O dom do escritor de nos apresentar uma história polêmica e com uma carga dramática pesada, porém de forma leve e descontraída é algo incrível.
Depois de ter tido a oportunidade de participar de um bate papo com o escritor fiquei ainda mais comovida com seu carisma e superação. Ficou claro que tudo o que ele escreve tem propriedade por ele ter vivenciado diversos dos sentimentos relatados, o que torna seus livros ainda mais especiais.
Estou doida para ler os outros dois livros escritos por ele, porém ainda não publicados no Brasil, Sorta Like a Rock Star publicado em 2010 e Boy21 em 2012.
Falando especificamente de Perdão, o livro não trata do ato homicida-suicida em si e sim os conflitos de um adolescente que sofre de depressão e que não enxerga mais motivos para continuar nesse mundo, mas que mesmo deprimido ele tem uma visão de mundo e de pessoas por uma ótica sarcástica o que torna a leitura gostosa. Mas acima de tudo o livro trata sobre relacionamentos.
Esse é aquele tipo de livro que apesar de ser curtinho e divertido (impossível não soltar diversas gargalhadas durante sua leitura) ele tem uma lindíssima mensagem de superação e auto aceitação.
Fiquei muito comovida com a leitura e precisei de um certo tempo de reflexão para conseguir largar o livro que mexeu demais comigo.
Sem dúvida é um livro que recomendo para todos os leitores, pois não haverão arrependimentos, somente a realização de ter lido um livro lindo e tocante.
Matthew Quick ganhou o direito de se tornar para mim um daqueles escritores que comprarei os livros assim que publicados e passarei na frente de qualquer leitura sem medo de ser feliz.

Booktrailer

Curiosidades:
O livro foi publicado no Brasil simultaneamente aos Estados Unidos, o que mostra a aposta da Editora Intrínseca no talentoso escritor.

Fonte: Editora Intrínseca

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL