#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar

5 de março de 2014


Título Original: This Star Won´t Go Out
Gênero: Biografia
Autor: Esther Earl com Lori e Wayne Earl
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 448
Nota pessoal: 5
Compre aqui

Sinopse:
"Ela me faz lembrar que uma vida curta também pode ser uma vida boa e rica, que é possível viver com depressão sem ser consumido por ela e que o sentido da vida está na união, na família e nas amizades que transcendem e sobrevivem a todo tipo de sofrimento." As palavras são do autor John Green, que era amigo de Esther e escreveu a introdução de A estrela que nunca vai se apagar. A amizade dele com a adolescente foi tão intensa que a história dela serviu de inspiração para o aclamado A culpa é das estelas, publicado pela Intrínseca em julho de 2012. Desde nova, Esther gostava de escrever cartas e diários, e, durante o tratamento contra o câncer, mantinha uma rede de amigos on-line - alguns deles membros da comunidade chamada Nerdfighteria, criada por John Green e seu irmão, Hank, em que jovens discutem sobre livros e ideias para tornar o mundo um lugar melhor. Os irmãos famosos postam regularmente vídeos no YouTube sobre assuntos variados, mas sempre pertinentes ao universo jovem. Quando estava muito debilitada, Esther realizou o desejo de passar um fim de semana na companhia dos amigos, e, com a ajuda da instituição sem fins lucrativos Make-A-Wish, ela, John e um grupo de adolescentes viveram momentos de descontração e emoção. O encontro aconteceu em Boston, em julho de 2010. Em agosto do mesmo ano, logo após seu 16º aniversário, Esther faleceu.

Citações que me chamaram a atenção:
"Esqueço porque é difícil entender que a mesma pessoa que lhe dá tanto amor, e para quem você dá tanto em troca, pode passar por tipos de dor e sofrimento que nada que você faça pode aliviar."
"ao amar os erros dos outros, aprendemos a aceitar os nossos."
"Não é triste que tantas vezes seja preciso encarar a morte para se apreciar a vida e uns aos outros por inteiro?"
Crítica:
Quando comecei a ler este livro meu primeiro pensamento ao terminar de ler a introdução foi "Será esta a leitura certa no momento certo? Espero que sim" compartilhei esse pensamento no facebook e recebi um comentário que não poderia ter sido mais apropriado para esse livro "Eu sempre digo que certos livros escolhem a gente, e não ao contrário...". Essa é uma boa definição para o que foi A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar em minha vida, esse livro realmente me escolheu em um momento muito importante de minha vida, e me fez enxergar o câncer de outra forma, me fez entender como é estar com câncer, o que eu realmente precisava entender nesse momento. No final das contas um livro que achei que me faria extremamente mal pela fase que estou vivendo (não, não sou eu quem esta com câncer e sim uma pessoa muito amada por mim) acabou por me fazer muito bem.
Esther, Lori e Wayne Earl nos mostram uma história com a beleza do amor, e não uma triste história sobre como o câncer se instala na vida das pessoas, mas em como o amor pode mudar a forma de vivermos e enxergarmos o mundo no qual vivemos.
O livro tem um formato bastante diferente do convencional, afinal são trechos de diário, transcrições de vídeos do YouTube, posts de blogs diversos, conversas em chat com amigos, divagações, relatos e desabafos, tudo isso para nos mostrar como Esther Grace Earl mudou e influenciou a vida de tantas pessoas.
Apesar de ter achado o formato do livro irreverente e uma graça não foi tudo o que me agradou, exemplo de uma parte em que mostra o chat do grupo de amigos em que Esther revela estar com câncer para seus amigos virtuais, mas pelo simples fato de eu não gostar de ler conversas de chat cheio de entradas soltas (inclusive quando no passado meus amigos me mandavam conversas que eles tiveram com outras pessoas para eu ler e dizer o que achava ficava bastante irritada com a situação), não sei explicar o motivo, simplesmente não gosto de acompanhar conversas em chat da qual não faço parte, coisa minha sem qualquer sentido ou explicação.
Mas tirando isso o formato do livro é envolvente e logo nos acostumamos com a mudança de cor, que mostra de onde foi retirado aquele trecho, isso foi mais um aspecto super interessante do livro.
Trazer a Esther e toda a família Earl para minha vida nesses dias de carnaval realmente valeu a pena, eles me fizeram entender o que estou vivendo nesse momento e certamente me farão encarar a vida de uma outra forma, dando mais valor a coisas que realmente importam como o amor.
Super recomendo o livro, vale muito a pena conferir, não é o estilo clássico de biografia ao qual estamos acostumados e que muitas pessoas tem certo pré conceito, ele é diferente, envolvente e apaixonante. Certamente você não se arrependerá de trazer essas pessoas maravilhosas para participar de sua vida e te ensinar o poder do amor.



Curiosidades:
A estrela que nunca vai se apagar também é uma espécie de diário em que Esther conta a sua vida após a descoberta de um câncer da tireoide quando ainda tinha 12 anos. Sob a ótica de seus pais e  médicos, a obra revela que, mesmo abatida pela doença, a adolescente preservava um certo bom humor e demonstrava imensa gratidão pelo carinho da família e dos amigos. Entre o grupo que a apoiava, estava o amigo mais ilustre: John Green. Responsável pela introdução do livro, ele relata o quanto o falecimento de Esther o inspirou a escrever compulsivamente.

Fonte: Intrínseca

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL