#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: SILO

13 de abril de 2014


Título Original: WOOL
Gênero: Ficção Científica
Autor: Hugh Howey
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 512
Nota pessoal: 4

Sinopse:
Em um futuro próximo, ventos venenosos corroem os cadáveres de velhos conhecidos dispostos ao pé de colinas nas cercanias, com as ruínas de uma cidade decrépita enfeitando o horizonte desolador, coberto permanentemente por nuvens carregadas. Essa é a única paisagem do mundo exterior a que os habitantes de um enorme abrigo subterrâneo de 144 andares têm acesso na série Silo, de Hugh Howey. A imagem só é possível porque infratores são mandados para o lado de fora da construção com a finalidade de limpar as câmeras, e após cumprirem sua função, eles se unem aos mortos. Juliette é uma das pessoas que recebem essa punição. E talvez ela seja a última.

Crítica:
Quando me voluntariei para participar da Semana SILO promovida pela Editora Intrínseca, achei que se tratava de um livro único e de um thriller (super por dentro), essa minha mania de não ler sinopses me faz passar por situações assim, quando chegou o livro e vi que se tratava de uma série distópica pensei "que furada me meti" (na verdade a frase continha diversos palavrões mas resolvi ser educada no post), mas enfim, me comprometi em ler então bora lá.
Embarquei no mundo de SILO e fui ficando cada vez mais interessada na trama.
Primeiro que somos apresentados a personagens que deixaram a adolescência para trás a alguns bons anos, e isso já me ganhou logo de cara, ando bastante saturada de personagens adolescentes.
As personagens são bem definidas e isso facilitou muito imaginar uma adaptação, consegui enxergar até alguns atores em certos papéis. O único ponto que para mim ficou em aberto, ou falho, como achar melhor foi que não consegui criar empatia com as personagens, não sei bem o que faltou se foi colocar mais sentimento nelas, mas eu não me envolvi com elas, não senti suas perdas, sei lá, não mexeu lá no fundo e esse foi o único ponto que considerei negativo no livro, por que a história é simplesmente incrível, mas por não envolver meus sentimentos aos das personagens acabou não sendo tão, digamos, intenso.
Quanto a narrativa e a construção dos blocos da história foi fascinante, achei tudo muito bem distribuído e esses blocos considerei muito bacana, acho que pelo fato de eu ter TOC eu curto livros bem divididos, os capítulos também foram muito bem construídos, são capítulos curtos, em sua maioria, e isso sempre me cativa, porque dá pra aproveitar a leitura em qualquer momento, pausa para o café, fila do mercado, esperar o metro, ida no banheiro, etc.
E por fim temos a trama. Sem dúvida não era o tipo de história que imaginei, depois de descobrir que o livro não era nada do que eu estava esperando, claro (risos), primeiro porque já parti do pré conceito de que era "mais uma distopia adolescente" mas fui surpreendida com uma história inimaginável pela minha limitada mente, o cenário construído tem uma simbologia muito interessante e os vilões da história me fizeram refletir muito sobre a vida, porque não trata-se somente de uma história de ficção, ela tem uma mensagem muito importante sobre como hoje estamos a mercê da TI e não enxergamos isso, achei essa sacada simplesmente incrível o que elevou o livro no meu conceito rapidamente. Gosto de histórias que nos dão tapas na cara, nesse caso foi com luvas de pelica mas ainda assim foram diversos tapas e fiquei cada vez mais interessada na trama quando senti o primeiro tapa bem ardido (momento masoquista). A trama tem um desenrolar interessantíssimo o que supriu minha carência pelo envolvimento com as personagens e ganhou uma leitora para a série, com certeza estou super ansiosa pela continuação. Super recomendo, leiam porque vale muito a pena.

Booktrailer


Curiosidades:
Publicado originalmente de forma independente em e-book, o conto de aproximadamente 60 páginas logo ganhou milhares de fãs. O autor, então, desenvolveu sequências empolgantes que aprofundaram o mundo criado por ele e conquistaram o público, chamando a atenção das grandes editoras. Em seguida, a saga foi publicada em livro impresso e entrou para a lista de best-sellers do The New York Times, com os direitos de publicação vendidos para vários países e os direitos para adaptação cinematográfica adquiridos pelo diretor Ridley Scott (de filmes como Alien, Blade Runner e Gladiador) para a 20th Century Fox.
Esse post é especial para a Semana SILO.

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta