#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: A Culpa é das Estrelas

19 de maio de 2014


Título Original: The Fault In Our Stars
Gênero: Drama Romântico
Ano: 2014
Duração: 125 minutos
Nota pessoal: 5
Site Oficial

Graças a Editoria Intrínseca, tive o privilégio de participar de uma sessão exclusiva com quase um mês de antecedência à estreia do filme no mundo, foi uma experiência incrível.

Sinopse
Diagnosticada com câncer, Hazel Grace Lancaster se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, a jovem é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio e logo conhece Augustus Waters, um rapaz que vai mudar completamente a sua vida.


Crítica:
Devo começar meus comentários sobre o filme dizendo que ele foi uma adaptação incrivelmente fiel ao livro, o que já podemos considerar um fato importantíssimo quando falamos de uma adaptação literária.
Mas se posso dizer mais digo que consegui gostar ainda mais do filme do que do livro.
Quando li A Culpa é das Estrelas me peguei exigente demais, afinal eu não tinha achado esse um dos melhores livros que já li, e sim um livro muito bom, muito bem escrito mas não incrível como todos diziam, pois posso dizer que o filme esta sim incrível.
Fiquei encantada a começar pelas mensagens transmitidas pelo escritor, atores e músicos para os brasileiros sortudos que estavam participando da sessão, pelo carinho com os brindes e o cuidado para não registrarmos nada do filme (quase surtei por ter meu celular apreendido por 3 horas).
Quando o filme começou eu esperava me deparar com as emoções que senti no livro, mas posso dizer que tudo estava muito ampliado, talvez pela fase em que estava vivendo que, infelizmente, tinha muita relação com a temática do filme, mas ainda assim acredito que mesmo não vivendo a faze que vivi me depararia com a mesma avalanche de emoções.
O fato de o filme estar extremamente fiel ao livro já nos diz muita coisa a respeito de quão a sério esse projeto foi levado. A tempos não me deparo com uma adaptação tão perfeita.
Dado esse fato não preciso nem comentar sobre o plot do filme, afinal se fui conferir a adaptação de um livro já lido é porque gostei (não curto um masoquismo literário/cinéfilo).
Mas o enredo ser igual ao livro não pode ser analisado isoladamente, afinal um elemento fundamental para uma boa história são bons protagonistas, e o que dizer da escolha de atores para interpretar Hazel e Augustus se não perfeita? Shailene Woodley e Ansel Elgort encarnaram perfeitamente as personagens e fizeram bonito na telona, trazendo empatia e criando uma química perfeita para esse par romântico.
A escolha da trilha sonora não poderia ser mais assertiva, esta tão perfeita que fiquei completamente viciada, escuto todos os dias para dormir de tão linda.
O que mais gostei nessa adaptação é que mantiveram o humor que encontramos nos livros, que definitivamente foi o que me encantou em toda a história.
Esse é o tipo de filme que nos deixa reflexivos sobre a vida e a maneira como olhamos as coisas, e que ao sair do cinema dá vontade de voltar para a bilheteria e pegar a próxima sessão para assistir de novo (pena que não foi possível fazer isso, então estou aguardando a estreia ansiosamente para poder assistir novamente). Levando isso em consideração nem preciso dizer o quanto recomendo, preciso? Bem então eu SUPER recomendo o filme para todos, os que leram, não leram, gostam de romance ou não. Esse é um filme que deveria ser assistido por todos, porém se preparem que as lágrimas são completamente inevitáveis, até os homens choraram.

Curiosidades:
Baseado no livro "A Culpa é das Estrelas", escrito por John Green, confira a resenha aqui.
O título é uma variação de uma citação da peça Julio Cesar (ato I, cena II), de William Shakespeare: "The fault, dear Brutus, is not in our stars, but in ourselves...", que em tradução livre significa "A culpa, querido Brutus, não está nas nossas estrelas, mas em nós mesmos...".

Fonte: Adoro cinema

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta