#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: Divergente

9 de junho de 2014


Título Original: Divergent
Gênero: Ficção Científica
Ano: 2014
Duração: 139 minutos
Nota pessoal: 3
Site Oficial

Sinopse
Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Dauntless, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four, um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo.



Crítica:
Com a febre do mundo distópico fomos apresentados a diversas séries, algumas me chamaram atenção por um ou outro motivo e outras sequer me saltaram aos olhos, como aconteceu com a trilogia Divergente. Não senti qualquer interesse em iniciar a leitura dessa série, primeiro motivo, ela ser publicada no Brasil pela Editora Rocco, quem me conhece sabe que eu acho os preços dos livros dessa editora absurdamente abusivos e desde Harry Potter e as Relíquias da Morte não compro mais livros da editora, e sim esse foi um dos motivos. Porém depois eu ganhei a versão em inglês mas fui deixando de lado até que saiu o filme e eu já tinha desencanado do mundo distópico nesse momento.
Bem, fui ao cinema sem qualquer pretensão ou expectativa, esperando apenas curtir um filme com os amigos. Como nunca me interessei pela série não tinha noção do que iria encontrar, mas logo imaginei que me depararia com um quadro romântico meio impossível, não estava enganada.
Depois da trilogia Jogos Vorazes o mundo distópico atual acabou perdendo bastante o encanto para mim, as histórias estão com uma fórmula já pré definida em que vão alternando alguns pontos específicos, nada grandioso, mas que em geral acaba agradando ao público mais adolescente, eu particularmente ando meio cansada dessa fórmula mágica do sucesso, eu gosto de ser surpreendida o que não vem acontecendo ultimamente.
Pois bem, eis que conferi a adaptação, que não posso fazer qualquer comparação com o livro, mas que achei ok, nada demais, não é um filme ruim, nem um filme incrível é um filme bom, que distrai, mas não tem o efeito de surpreender, prender o espectador ou até mesmo emocionar.
A fotografia esta bonita, o clássico cenário de destruição de um mundo pós apocalíptico, as personagens são clichês, a menina que ninguém bota fé e se sente deslocada no mundo é quem irá fazer a revolução, se apaixona pelo cara mais improvável e os dois enfrentam o governo (já viram algo assim antes? Pois eu também).
Nada me chamou atenção no filme, e não saí do cinema com qualquer curiosidade para sua continuação ou até mesmo arrependimento de não ter lido os livros. Provavelmente será uma série que vou acompanhar na telona, quem sabe o próximo filme consiga despertar algo em mim.

Curiosidades:
Baseado no livro "Divergente", escrito por Veronica Roth.

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta