#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo

23 de janeiro de 2015


Título Original: Foxcatcher
Gênero: Drama
Ano: 2015
Duração: 134 minutos
Direção: Bennett Miller
Distribuição: SONY PICTURES
Nota pessoal: 3
Site Oficial

Sinopse
Campeão olímpico de luta greco-romana, Mark Schultz sempre treinou com seu irmão mais velho, David, que é também uma lenda no esporte. Até que, um dia, recebe um convite para visitar o milionário John du Pont em sua mansão. Apaixonado pelo esporte, du Pont oferece a Mark que entre em sua própria equipe, a Foxcatcher, onde teria todas as condições necessárias para se aprimorar. Atraído pelo salário e as condições de vida oferecidas, Mark aceita a proposta e, assim, se muda para uma casa na propriedade do milionário. Aos poucos eles se tornam amigos, mas a difícil personalidade de du Pont faz com que Mark acabe seguindo uma trilha perigosa para um atleta.




Crítica:
Se eu dividir o filme em duas análises ele teria avaliações bastante diferentes, então vou tentar ilustrar de forma separada para que entendam bem meu ponto de vista.
Analisando o filme pelo lado técnico (não que eu tenha qualquer conhecimento técnico mas tenho um conhecimento vago sobre filmes) diria que trata-se de um filme incrível. Analisando vídeos das pessoas que foram representadas pelos atores nos filmes, posso dizer que os atores fizeram um papel incrível, a realmente a atuação de Steve Carell foi realmente incrível, os poucos vídeos que encontrei de John du Pont disponíveis no YouTube me fizeram perceber o trabalho impecável do ator, que a princípio fui conferir com certo pré conceito visto que trata-se de um ator do mundo da comédia, esperava algo um tanto caricata. Já Mark Ruffalo, em minha opinião, não passou de Mark Ruffalo, todos seus papeis ele me parece sempre o mesmo, mesmas expressões, mesma carinha fofa, nunca consigo enxergar grandes diferenças em sua atuação. Em contrapartida Channing Tatum me pareceu muito diferente de suas personagens anteriores, achei que ele foi uma ótima escolha para esse papel, mostrou amadurecimento como ator, mas nada que valha uma indicação, como não recebeu.
Além disso não posso deixar de lado a maquiagem feita em Steve Carell, ficou incrível, mal dava para reconhecê-lo no primeiro momento, um trabalho muitíssimo bem feito. Na verdade com relação a parte técnica acabaria por aqui.
Quanto ao filme, o que ele me fez sentir foi tristeza, se esse era o verdadeiro objetivo do diretor e produtores então nota mil, mas realmente não é um dos filmes biográficos que me trouxeram o sentimento de motivação, como em geral espero.
Primeiro que é uma história chocante, é, mas ao mesmo tempo é completamente deprimente, não vou mentir que ficava a todo momento esperando uma mensagem de superação e de que a vida vale a pena e tudo o mais, porém isso não chegou em momento algum. Vocês podem dizer "Mas Vivi, a vida é assim, nem tudo na vida são flores", eu sei que no mundo em que vivemos muitas pessoas vivem uma vida de merda, desculpem o termo, onde só acontece tragédia e que nada de bom realmente acontece, mas sério, não consigo me motivar ao assistir algo assim.
Claro que podemos tirar lições desse filme, de tudo o que não devemos fazer, e tudo o mais, mas ainda assim, ah gente, eu tento tirar sempre proveito das coisas, olhar o lado bom, mas quando eu tento fazer isso com esse filme eu tenho uma dificuldade enorme, não consigo extrair um acontecimento bom da história e isso me deixou realmente triste.
Gosto de filmes que me inspira, que me colocam pra cima, que me motivam, principalmente que me fazem refletir. Podem até me fazer chorar, eu choro mesmo igual criancinha, mas que me deixam triste sem esperanças, ah isso não foi nada legal.
Tirando o fato de o filme ter seus lapsos de blackout, sinceramente é algo que não entendo no mundo do cinema, cortar uma cena deixar alguns segundos de tela preta para marcar passagem, acho bastante desnecessário, um dia, quando eu for mais madura e entender mais de cinema quem sabe não consiga apreciar melhor isso.
Bem, em suma, quando divido o filme em duas partes ai sim consigo enxergar aspectos positivos que me levaram a classificá-lo como um bom filme, caso contrário seria bastante diferente. Sinceramente não é um filme que indico pela trama e sim pelo trabalho dos atores e maquiagem, mas é só.

Curiosidades:
Channing Tatum e Mark Ruffalo filmariam todo o dia, e, em seguida, iriam para a prática de luta intensiva. Ao final da filmagem, eles estavam tão exaustos que, segundo Tatum, tanto ele como Ruffalo choraram após sua prática final.

Fonte: Adoro Cinema

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta