#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: Whiplash - Em Busca da Perfeição

12 de janeiro de 2015


Título Original: Whiplash
Gênero: Drama
Ano: 2015
Duração: 107 minutos
Direção: Damien Chazelle
Distribuição: SONY PICTURES
Nota pessoal: 5
Site Oficial

Sinopse

O solitário Andrew é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na música americana como fez Buddy Rich, seu maior ídolo na bateria. Após chamar a atenção do reverenciado e impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher, Andrew entra para a orquestra principal do conservatório de Shaffer, a melhor escola de música dos Estados Unidos. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão, fazendo de tudo para chegar a um novo nível como músico, mesmo que isso coloque em risco seus relacionamentos com sua namorada e sua saúde física e mental.



Crítica:
Desde a primeira vez que vi o trailer desse filme criei uma expectativa altíssima, afinal, ele conseguiu transmitir toda sua magnitude. Tamanha foi minha realização ao sair do cinema com um sorriso no rosto e a sensação de missão cumprida por ter conferido esse filme no cinema.
Toda a trama gira em torno das personagens primários, sem qualquer necessidade da intervenção de outras personagens, mesmo havendo, o que acabou dando um toque a mais para a trama.
Sinceramente não consigo encontrar palavras para expressar o quão incrível é essa obra, sem dúvida que o prêmio do Golden Globes para J. K. Simmons como melhor ator coadjuvante foi mais do que merecido e sem dúvida ele é uma das minhas apostas para o Oscar (que por sinal estou morrendo com a expectativa), mas ele não esta sozinho, sinceramente Miles Teller jamais havia me chamado atenção, suas personagens eram sempre secundárias e dispensáveis e por isso ele não tinha a possibilidade de mostrar o seu talento, devo dizer que como ator principal desse filme ele deu um verdadeiro show, certamente foi uma grande descoberta.
Já que me faltam palavras deixa eu desmembrar o filme em segmentos para tentar demonstrar o quão apaixonada estou por esse filme.
Não posso deixar de começar pela trilha sonora, afinal música é a base da trama, ela é maravilhosa e intensa, dá para sentir as batidas no coração, é realmente incrível.
Fotografia esta linda, e tem um mix de antiguidade com dias atuais, achei um tanto poético.
O roteiro esta lindo, a história se desenrola no tempo certo, como uma música perfeita, é mágico de assistir (só de recordar já estou morrendo de vontade de correr para o cinema para assistir novamente).
Sério, é impossível traduzir em palavras a avalanche de emoções que esse filme me proporcionou, porque realmente é isso o que acontece, somos agraciados com um mundo de emoções de forma inexplicável, estou realmente apaixonada. E sim, ele é tudo o que os críticos estão dizendo. Eletrizante, comovente, desolador, extraordinário, trivial, inspirador, perigoso, explosivo, eletrizante, e todos os demais adjetivos.

Curiosidades:
Durante as cenas de prática mais intensas, o diretor não gritaria "corta!", a fim de que Miles Teller mantesse o rufar até esgotar-se. Além disso, Miles Teller, que toca bateria desde os 15 anos, ficou com bolhas nas mãos devido ao estilo vigoroso, não convencional da bateria de jazz. Um pouco de seu sangue ficou nas baquetas e no instrumento.

Fonte: Adoro Cinema

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta