#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

6 de fevereiro de 2015


Título Original: Birdman
Gênero: Comédia
Ano: 2015
Duração: 119 minutos
Direção: Alejandro González Iñárritu
Distribuição: FOX FILMES
Nota pessoal: 5
Site Oficial

Sinopse

No passado, Riggan Thomson fez muito sucesso interpretando o Birdman, um super-herói que se tornou um ícone cultural. Entretanto, desde que se recusou a estrelar o quarto filme com o personagem sua carreira começou a decair. Em busca da fama perdida e também do reconhecimento como ator, ele decide dirigir, roteirizar e estrelar a adaptação de um texto consagrado para a Broadway. Entretanto, em meio aos ensaios com o elenco formado por Mike Shiner, Lesley e Laura, Riggan precisa lidar com seu agente Brandon e ainda uma estranha voz que insiste em permanecer em sua mente.



Crítica:
Segundo ano seguido que assisto um filme indicado a categoria de Melhor Filme do Oscar e saio do cinema com a sensação de "O que esse filme esta fazendo nessa lista?", me parece realmente que a academia esta mudando seu conceito de filmes de forma gradativa, o que muito me agrada por sinal.
Vocês devem estar pensando "Meu deus, Vivi deu nota máxima para um filme do gênero cômico, mas como assim?". Isso é muito fácil de explicar, se tem um humor que aprecio, e muito, é o humor negro, quer me ver curtir uma comédia é se ela tiver um toque de sátira e humor negro envolvido, ah ai eu fico doida e morro de rir.
Bem, esse filme é um banquete para a pessoa que vos escreve. Desde que vi o trailer eu tinha certeza de que esse seria um dos filmes que eu curtiria demais, primeiro por eu amar tudo o que mostra bastidores de qualquer coisa, seja cinema, show, televisão e peça, eu tenho uma curiosidade tão grande sobre tudo o que acontece no mundo da ficção e da arte que fico realmente encantada por poder ter um pouco de contato, mesmo que fictício com esse lado da arte, me fascina completamente.
Outra coisa que me conquistou no filme é que todas as personagens são rodeadas por suas psiques, medos e anseios, mas um ponto para o filme, eu gosto de ver a loucura das pessoas, vivemos em um mundo em que todos tentam se esconder atrás de fachadas e me agrada ver o lado negro por trás de tudo isso, a "verdade" escondida.
Já, falei das personagens, da trama, que tal a trilha sonora. Estou encantada com sua simplicidade, ela é totalmente instrumental, uma pegada de Jazz deliciosa e envolvente que deu um toque todo especial para o filme, tornando uma trilha sonora única e irreverente, nada de modernismo.
A escolha do elenco, por mais incrível que seja, não posso dizer que as indicações são merecedoras dos prêmios. Sem sombra de dúvidas eles atuaram muitíssimo bem, mas quando comparamos aos demais indicados, no meu conceito eles ficam para trás. Michael Keaton foi tão convincente em seu papel que senti como se Birdman na verdade fosse o Batman e ele estivesse buscando seu lugar ao sol, mas ainda assim já vi atuação dele que me marcou muito mais.
Apesar de já ter meu filme favorito praticamente definido para esse ano, posso dizer que esse me deixou bastante balançada, é um filme inteligente, com grandes críticas incutidas, uma verdadeira obra de arte com um toque carregado de humor negro que pode não agradar a todos.

Curiosidades:

A peça de teatro que marca o retorno de Riggan Thomson (Michael Keaton) é inspirada em um conto de Raymond Carver chamado What We Talk About When We Talk About Love ("O que falamos, quando falamos sobre o amor", em tradução literal), publicado em 1981, e conta a história de Mel McGinnis, um cardiologista de quarenta anos e seus amores.

Fonte: Cinema 10

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta