#VocêTemUmaMenteMilionária

Filmes: Cinquenta Tons de Cinza

13 de fevereiro de 2015


Título Original: Fifty Shades of Grey
Gênero: Romance Erótico
Ano: 2015
Duração: 125 minutos
Direção: Sam Taylor-Johnson
Distribuição: UNIVERSAL PICTURES
Nota pessoal: 3
Site Oficial

Saindo da Maratona Oscar 2015 para comentar sobre o filme que esta polemizando as redes sociais. Preparem-se, o texto é longo.

Sinopse

Anastasia Steele é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey. Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.





Crítica:
O mundo esta dividido com a estreia de Cinquenta Tons de Cinza, existem aqueles que apreciam e os que repudiam.
Desde o lançamento do livro escuta-se muito dizer que agora tanto o filme quanto o livro são extremamente sexistas. Bem, discordo completamente.
Que Christian Grey é uma personagem completamente perturbada, manipuladora e obsessiva, sim isso devo admitir. Que sua forma de encarar relacionamentos não é nada convencional, isso também tenho que concordar. Agora dizermos que por isso o filme é sexista e não merece ser assistido, que as mulheres que o assistem provavelmente acabarão em abrigos ou mortas por se sujeitarem a esse tipo de tratamento. Espera lá meu amigo. Uma coisa é assistir o filme por meio de recreação, outra coisa é tomar aquilo como uma educação para a vida e aceitar esse tipo de tratamento vindo do seu parceiro. Pensamentos assim é que são sexistas. Não é porque fui ao cinema na pré estreia assistir a primeira exibição do filme que me torna uma merecedora de violência doméstica.
Ainda encaro toda essa repercussão dos livros, e agora do filme, como uma revolta não assumida de uma quebra gigantesca de um tabu que o mundo não estava preparado para que fosse quebrado, que são as mulheres falando abertamente sobre sexo.
Infelizmente nosso mundo é muito sexista, usando a palavra do momento para não dizer machista, e até mesmo nós mulheres o somos, por nos repreendermos em não apontar nossos gostos e desgostos com relação ao sexo. A mulher querer tomar uns tapas, ser amarrada e gostar de submissão na cama é vista de forma pejorativa e marginalizada, faz com que as pessoas pensem que por isso ela merece tomar umas porradas quando chega em casa de um encontro com as amigas. Chegou a hora de as pessoas separarem o que é fantasia sexual, preferência sexual ou fetichismo, chamem como quiser, de violência doméstica, existe um enorme distanciamento que esta sendo ignorado completamente.
Dizer que mulheres que gostam da trilogia ou do filme são perturbadas é uma hipocrisia descabida. Esta vem sendo uma forma de as mulheres se manifestarem em relação ao sexo, então deixem que elas comente, afinal nem todas tem coragem de assistir filmes pornôs, ou até mesmo conversar sobre o assunto, seja com amigas.
Com relação a personagem do Sr. Grey, se pararmos para analisar nossos filmes e livros favoritos certamente vamos encontrar personagens distorcidos e perturbados em sua grande maioria, e isso não nos torna menores ou até mesmo nos descaracterizam de quem somos. Eu mesmo tenho uma coleção de personagens perturbados na lista de favoritos, como o famoso Alex DeLarge de Laranja Mecânica, um completo sociopata, e nem por isso sou uma pessoa com problemas.
As pessoas se preocupam tanto em julgar o comportamento das outras por coisas tão pequenas como essa e se esquecem de que o mundo esta uma merda, no Brasil estamos enfrentando uma crise econômica e social assustadora, mas ainda achamos que vale mais apena gastarmos energia julgando quem assiste a Cinquenta Tons de Cinza, sem falso moralismo tá gente, mas é bem a verdade, a ponto de apontar quem faz ou não sexo por gostar ou não do filme (meu deus, jura?).
Falei, falei, falei e não comentei NADA sobre o filme né? Ok, vamos lá.
Achei uma adaptação realmente boa, felizmente foi fiel ao livro no conceito e não na sequência de acontecimentos ou até mesmo na velocidade deles.
O filme tem uma pegada mais soft porn, com cenas quentes, mas sem mostrar o ato sexual em si, o que sinceramente achei bastante coerente, um ponto que pode decepcionar alguns é que o filme não pega pesado no conceito de bondage ou masoquismo, outro ponto que achei também coerente. pois vamos analisar friamente a situação aqui. Se o povo esta metendo o pau no filme que mostra cenas de sexo e a introdução ao conceito de submissão, imagina só se o conceito de bondage fosse apresentado da forma como realmente acontece? Teria gente saindo das salas dos cinemas completamente horrorizadas, sinceramente entendo muitas pessoas não estão prontas para entenderem o fetichismo, ainda existe MUITA gente conservadora no mundo quando o assunto é sexo, se não fosse assim certamente não estaríamos sendo bombardeados com comentários e mais comentários sobre um filme de romance como esse.
Em minha opinião os atores conseguiram caracterizar bem suas personagens, mas nenhuma interpretação excepcional, tudo na média. A trilha sonora é gostosa, super condizente com o tema do filme, e claro que não poderia faltar I Put A Spell On You na trilha sonora, na verdade é a música de abertura do filme, o que certeza deu uns pontinhos extras.
Referente ao enredo, bom quem leu minha resenha de Fifty Shades of Grey sabe bem o que penso da história, quem não leu um breve resumo, é uma história morna de romance que sinceramente não em nada demais o que me chamou mesmo atenção foram as cenas de sexo e introdução do conceito de bondage na literatura, mas fora isso nada demais, e o filme não foi diferente, porém deixando de lado o conceito do fetichismo e focando mais em cenas de sexo mais convencionais. Quem espera ver algo mais quente sinceramente recomendo assistir um filme pornô que é mais sucesso.
Claro que mesmo não tendo achado o filme forte, e sim um filme bom com cenas quentes de intimidade entre o casal e um toque bem sutil de submissão, devo dizer que minha recomendação é moderada pelo simples fato de achar que muitas pessoas estão julgando as coisas de forma errada.

Curiosidades:
O filme é adaptação do primeiro livro da série Cinquenta Tons, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca

LEITORES

RECEBA POR EMAIL

INSTAGRAM @fls_insta