#VocêTemUmaMenteMilionária

Livros: A Música do Silêncio

29 de abril de 2015

http://www.skoob.com.br/a-musica-do-silencio-395213ed447375.html

Título Original: The Slow Regard of Silent Things
Gênero: Fantasia
Autor: Patrick Rothfuss
Ano: 2015
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 144
Nota pessoal: 5

Sinopse:
Debaixo da Universidade, bem lá no fundo, há um lugar escuro. Poucas pessoas sabem de sua existência, uma rede descontínua de antigas passagens e cômodos abandonados. Ali, bem no meio desse local esquecido, situado no coração dos Subterrâneos, vive uma jovem.
Seu nome é Auri, e ela é cheia de mistérios.
A música do silêncio é um recorte breve e agridoce de sua vida, uma pequena aventura só dela. Ao mesmo tempo alegre e inquietante, esta história nos oferece a oportunidade de enxergar o mundo pelos olhos de Auri. E nos dá a chance de conhecer algumas coisas que só ela sabe...

Citações que me chamaram a atenção:
"Sem seu halo de cabelo, Auri sentia-se pequena. Não era a pequenez pela qual se esforçava todos os dias. Não a pequenez de uma árvore entre as árvores. De uma sombra no subterrâneo. E também não era só a pequenez do corpo. Auri sabia não haver muito dela. Quando pensava em se olhar mais de perto no espelho de pé, a jovem que via era miúda como um pivete pedindo esmolas na rua. A jovem que via era magra como a magreza. Ossos malares altos e delicados. Clavícula saliente."
"Nesse instante, sua respiração ficou presa no peito. No fundo da gaveta, meticulosamente dobrados, estavam vários lençóis perfeitos, alvos e macios. Auri estendeu a mão para tocar um deles e se admirou ao ver como a trama era fechada. Tão fina que seus dedos não conseguiam sentir os fios de linha. Era fresca e gostosa de tocar, como um amante recém-chegado do frio que viesse beijá-la."
"Auri riu de prazer, e cada parte do seu riso foi um pássaro minúsculo que saía aos tropeços para voar pela sala."
"Deitada no escuro, perguntou-se o que o dia traria. Certos dias eram orgulhosos feito trombetas. Anunciavam-se como o trovão. Outros eram corteses, cuidadosos como um cartão manuscrito numa bandeja de prata."
"Ela sabia. Devia ter agido mais delicadamente com o mundo. Sabia como as coisas funcionavam. Tinha consciência de que, quando alguém não pisava sempre com uma leveza de pássaro, o mundo inteiro desmoronava e o esmagava. Como um castelo de cartas. Como uma garrafa nas pedras. Como um pulso preso com força sob uma mão, como um hálito quente do desejo e do vinho..."
Crítica:
Definitivamente me deliciei com a leitura desse livro. Auri é minha personagem favorita de todo o universo literário que tive o prazer de desfrutar até o presente momento e Patrick Rothfuss escrever um livro exclusivo para ela, nos apresentando sua forma simples e bela de pensar, transformando uma história em poesia e nos mostrando o belo em coisas que julgaríamos desastrosas e horríveis é sem dúvida uma obra de arte.
Sei que muitas pessoas poderão se aventurar com essa leitura e saírem decepcionadas, afinal, citando o próprio autor:
"... mesmo que tenha lido meus outros livros, acho justo avisar que esta é uma história um pouquinho estranha. Não gosto muito de dar spoilers, mas basta dizer que esta aqui é... diferente. Por outro lado, se quiser saber mais sobre a Auri, este livro tem muito a lhe oferecer."
E é bem isso, esse livro deve ser lido primeiro por pessoas que leram os livros anteriores de A Crônica do Matador do ReiO Nome do Vento e O Temor do Sábio, segundo por pessoas que se interessaram, ou se apaixonaram perdidamente como eu, pela personagem Auri, e terceiro estar aberto e ciente de que toda a narrativa é feita pelo ponto de vista da personagem e por sua forma de ver o mundo.
Tentei ler esse livro em inglês, mas a forma diferente como ele é escrito tornou a leitura um tanto difícil para o entendimento, por isso resolvi aguardar o lançamento do livro em português, quando iniciei a leitura sabia que me apaixonaria perdidamente, mas quis prolongar meu tempo com o livro o máximo possível, sorver cada palavra, cada pensamento para internalizar e refletir sobre eles, como podem ver pelas citações acima, Patrick Rothfuss tem o dom de escrever poesia em forma de narrativa, ele constrói frases incrivelmente sensíveis e belas. Eis o estado do meu livro ao final da leitura na figura ao lado. Cheio de citações lindas.
Terminada a leitura desse livro estou com um desejo avassalador de retomar os livros anteriores e degustá-los a cada palavra.
Gostaria de descobrir mais escritores(as) que tenham o mesmo dom que Patrick, afinal é sempre um prazer ler seus trabalhos, não vejo a hora de recebermos a continuação de suas histórias.
O livro original, The Slow Regard of Silent Things, é ilustrado por Nate Taylor já a versão nacional do livro contém outras ilustrações, mais escuras, tracejadas e rústicas, porém não encontrei o(a) responsável pelas ilustrações, não é mencionado no livro e não localizei qualquer referência na internet, porém não se parecem em nada com as de Nate Taylor.
Este é um belíssimo livro, um banquete para os olhos, alma e coração. Auri eternamente minha personagem favorita da vida.

Curiosidades:
Neste livro, Patrick Rothfuss nos leva ao mundo de uma das personagens mais enigmáticas da série A Crônica do Matador do Rei, Auri. Repleto de segredos e mistérios, A música do silêncio é uma narrativa sobre uma jovem ferida em um mundo devastado. Os livros anteriores de A Crônica do Matador do Rei são O Nome do Vento e O Temor do Sábio.

Fonte: Editora Arqueiro

INSTAGRAM @fls.com.vc

LEITORES

RECEBA POR EMAIL